Diferentes

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Ela era um furacão perto dele, e ele, inexperiente e bom moço de nascença, não estava acostumado com aquele vento todo. Mas a calmaria daquele rapaz sempre fez bem à ela, acostumada com o tumulto que era viver dentro de si, gostava da paz que ele lhe trazia.
Muitas vezes ele ria de toda aquela agitação da sua garota, era engraçado encontrar felicidade em alguém tão diferente. Ela também ria dele, se perguntava de que civilização ele fazia parte, não tinha sentido ser da mesma que ela, eram diferentes demais.
Era bonito ver os dois, as pessoas diziam que eles não tinham quase nada a ver como a maioria dos casais tinham, mas que se completavam e era o mais admirável. Todos diziam que eles iriam ter os filhos mais "esquisitos" e "certinhos" do planeta e que seria lindo ver isso, seria, mas não chegou a ser.
Essa diferença toda, e até mesmo semelhança - afinal algo tinham em comum, eram muito diferentes dos outros ao redor, cada um do seu jeito - não sustentou nada, pouco a pouco os sorrisos foram sumindo, primeiro do rosto dele, sempre mais pé no chão ele enxergou primeiro, depois do rosto dela, que demorou, mas depois viu que teria que fazer vento em outro lugar. Aquele casal que já tinha um lindo futuro na mente de todos, mal teve presente, ela se foi do coração dele rápido como o furacão era, e ele ficou no coração dela por tempo suficiente pra honrar a paciência que sempre lhe dera.
Eles existiram pra ser aquela história que é linda, tem tudo pra dar certo assim como tem tido pra dar errado, e frustra a todos escolhendo o pior final.




2 comentários:

  1. As diferenças são lindas na poesia... na vida real, nem tanto.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir